Dot.lib

Fonte: iStock Fonte: iStock
Inglês: a língua da ciência
  • Artigo
  • Dotlib, Ciências da Saúde
  • 13/12/2019
  • inglês, profissional de saúde

O crescimento contínuo da relação entre os países devido ao fenômeno da globalização, surge também a necessidade de uma língua universal para uma comunicação mais eficaz. E, falar a mesma língua se tornou fundamental para obter o êxito.

Em diversas áreas, mas principalmente na ciência, o inglês passou a ser o idioma mais compatível para transmitir conhecimento entre pesquisadores mundialmente. Além de ser a língua de referência para as transações comerciais, de turismo e entretenimento.

Mas como o inglês tornou uma língua universal?

O francês era o idioma que predominava internacionalmente, até o final da primeira guerra mundial (1914-1918). A partir desse momento o inglês começou o seu domínio. 

O conceito de idioma universal tem origem na colonização pelo Império Britânico, que se expandiu para diversas partes do mundo e o inglês passou a ser o idioma para conexão entre os países, principalmente para as relações comerciais. Um exemplo, ao longo do início do século XX, é a dominância do Reino Unido sobre diversas regiões como Estados Unidos, África do Sul e Austrália. Com essa abrangência, o inglês ganhou espaço em todos os continentes.

Sabe-se que após a Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos começaram uma intensa influência em diversas partes do mundo e em conjunto com a globalização contribuíram para que até hoje o inglês seja um língua intercontinental.

Diante desse cenário, vamos conhecer os principais motivos para pesquisadores e profissionais de saúde também investirem no inglês, a língua da ciência.

Publicações científicas

Na comunidade científica, o inglês já é considerada a língua universal, sendo a mais usado nas pesquisas científicas e estudos na área de saúde. Os pesquisadores que estão em busca de novas descobertas, já podem observar que as publicações na área de saúde a maioria é em inglês, como a The New England Journal of Medicine (NEJM), JAMA e BMJ.

P
ara maior visibilidade de um artigo científico é importante divulgar em revistas internacionais. Portanto, comunicar a ciência em um idioma compreendido pela maioria certamente aumenta sua probabilidade de ser citado em publicações.

Eventos internacionais

Para participar ou apresentar um trabalho em congressos internacionais dominar o inglês é essencial. E isso será possível apenas se o pesquisador possuir o conhecimento do inglês. Um evento em nível mundial reúne especialistas de vários países, o que torna o inglês uma língua oficial para que todos possam compreender o conteúdo ministrado. Assim como, uma boa compreensão de inglês passa a ser importante para que o profissional possa absorver o máximo do que está sendo oferecido no evento. 


Atualização na área da ciência

As pesquisas com os conteúdos mais recentes apresentados em artigos e livros, geralmente, são publicados em inglês e a tradução para outras línguas, como o português, pode demorar anos. Então, esse conhecimento pode se tornar obsoleto até chegar a nossa língua.

O domínio do inglês possibilita que você se mantenha atualizado com os estudos e pesquisas mais recentes sobre diversas tratamentos, novas substâncias ou equipamentos para diagnósticos. Muitos aplicativos e recursos especializados na área médica possuem informações na língua inglesa, como a base de dados da IBM Micromedex.

Os avanços tecnológicos, principalmente na área da saúde, não param. Então, é importante não se limitar a adquirir conteúdos apenas em português, pois dessa forma você pode prejudicar a sua carreira e seus pacientes.


Ampliar as oportunidades de trabalho

Ter noção do inglês pode ampliar suas oportunidades no mercado de trabalho, e consequentemente, o seu crescimento profissional. Para as especializações ou trabalhos voluntários em outros países falar esse idioma é um requisito, pois as aulas são ministradas na língua inglesa. Podemos citar também que na residência médica é comum haver debates de artigos em inglês, logo esse conhecimento é muito válido nessa etapa.

Como podemos observar o inglês, geralmente, é usado como a língua dominante nas pesquisas médicas e na criação de livros e conteúdo. Assim, torna-se fundamental para os profissionais e estudantes que desejam acompanhar as novidades na área científica, fazer pesquisas on-line, participar de eventos internacionais que, na maioria das vezes, são apresentados em inglês.

Dica: Leia os artigos científicos em inglês, pois a leitura constante dessas publicações ajuda na melhoria da comunicação verbal. E ainda irá te ajudar no progresso da sua carreira e na qualidade do seu atendimento ao paciente.


Dot.Lib
Dot.Lib

A Dot.Lib distribui conteúdo online científico e acadêmico a centenas de instituições espalhadas pela América Latina. Temos como parceiras algumas das principais editoras científicas nacionais e internacionais. Além de prover conteúdo, criamos soluções que atendem às necessidades de nossos clientes e editoras.

Quer conhecer o nosso conteúdo?

Podemos lhe oferecer trials (períodos de acesso de teste gratuitos) dos conteúdos de nossas editoras parceiras. Se você tem interesse em conhecer alguma de nossas publicações ou soluções de pesquisa, preencha o formulário ao lado.

Informe os dados abaixo.
Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo site, você autoriza a Dot.Lib a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.