Dot.lib

Saiba quais são as opções de pós-graduação na ciência farmacêutica que mais abrem portas no mercado de trabalho (Imagem: iStock). Saiba quais são as opções de pós-graduação na ciência farmacêutica que mais abrem portas no mercado de trabalho (Imagem: iStock).
Farmácia: conheça as 4 especializações mais promissoras
  • Artigo
  • Ciências da Saúde
  • 26/11/2021
  • Farmácia, Farmácia Hospitalar, Cosmetologia, DotLib, Especializações, Farmácia Clínica, Tecnologia de Alimentos

O desenvolvimento de pesquisas científicas, bem como a fabricação e distribuição de medicamentos sempre foram de extrema importância para a humanidade. A pandemia de COVID-19 e a necessidade de vacinas e outros fármacos para combatê-la não só reforçaram a importância dos farmacêuticos para a sociedade, mas revelaram um mercado de trabalho promissor.

Os números não deixam mentir: a indústria farmacêutica brasileira fechou o ano de 2018 com 96.744 mil empregos diretos. Já em 2019, o país arrecadou cerca de R$ 69 bilhões em medicamentos, colocando o Brasil como o principal mercado farmacêutico da América Latina, segundo dados do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos (Sindusfarma).

Atualmente, há mais de 234 mil farmacêuticos registrados em todo o país trabalhando em 135 linhas de atuação regulamentadas pelo Conselho Federal de Farmácia. Para entrar neste mercado é necessário fazer o bacharelado em Farmácia, que tem duração de cinco anos.

O curso é um dos mais abrangentes das Ciências da Saúde, não só no conhecimento multidisciplinar, mas também nas formas de atuação, um prelúdio do que se espera do ingressante na profissão.

Após a graduação, o leque das especializações em Farmácia — que geralmente duram entre um e dois anos — se abre e é normal que o profissional fique com dúvidas sobre qual seguir. Pensando nisso, a Dot.Lib mapeou as quatro especializações que estão em alta na área farmacêutica e trouxe um resumo de suas respectivas atribuições. Veja a seguir.

Cosmetologia

(Imagem: iStock)

A Cosmetologia é uma das pós-graduações mais promissoras. Não a toa, o Brasil é o quarto maior mercado de cosméticos e produtos de cuidados pessoais do mundo, o que faz da Cosmetologia uma das pós-graduações em Farmácia mais atraentes. Nessa área, o farmacêutico é responsável pelo desenvolvimento de produtos cosméticos que auxiliam no tratamento de pele, cabelos, unhas e outras partes do corpo, aliando estética e saúde

O campo de atuação, em sua maioria, está em indústrias cosméticas, farmácias magistrais e como consultor especializado. Além disso, o farmacêutico cosmetólogo pode escolher em qual das três funções quer focar: na estética (melhorias superficiais na aparência), na conservadora (proteção da pele contra os efeitos da radiação, temperatura e interações físicas) ou na corretiva (produção de cosméticos que corrijam imperfeições pontuais na pele, como verrugas, marcas de expressão etc.).

As demandas da Cosmetologia compreendem: o desenvolvimento de fórmulas com componentes estáveis e compatíveis; coordenação e realização de estudos sobre a estabilidade físico-química e microbiológica de formulações já aprovadas; fabricação do produto em escala industrial e seu registro nos órgãos competentes, entre outros.

A média salarial de um farmacêutico com especialização em Cosmetologia no Brasil é de R$ 3.508,61, segundo o portal Salários.com.

Farmácia clínica

(Imagem: iStock)

Desde a homologação da Política Nacional de Assistência Farmacêutica, em 2004, a farmácia clínica é uma das especializações que mais têm crescido em demanda de profissionais. Para ingressar numa farmácia clínica, o profissional deve ter conhecimentos sobre patologias e farmacologia.

Direta ou indiretamente, cabe ao farmacêutico clínico otimizar o tratamento do paciente e conscientizá-lo sobre o uso correto dos medicamentos. Para isso são considerados o tempo de duração da terapia medicamentosa, a maximização da eficácia medicamentosa, a prevenção de interações medicamentosas, a minimização do risco de efeitos adversos decorrentes de um tratamento, entre outros.

O farmacêutico clínico pode trabalhar em laboratórios ou mesmo gerenciá-los. Neste contexto, será responsável pelas análises clínicas, sendo requisitados os seguintes conhecimentos: hematologia clínica, bioquímica, morfologia celular, entre outros.

Conforme o portal Vagas.com, um farmacêutico com atuação clínica recebe um salário médio de R$ 3.879, com variações de R$ 3.133 até R$ 4.602, a depender do nível de experiência e da região do país.

Leia também: "A origem da farmácia clínica no Brasil"

Farmácia hospitalar

(Imagem: iStock)

Ainda que a farmácia hospitalar preste uma assistência técnico-científica à farmácia clínica, nessa especialidade o farmacêutico lidará a maior parte do tempo com questões administrativas e logísticas, garantindo o uso racional dos medicamentos e sua correta utilização durante a terapia medicamentosa.

Suas principais atribuições são a aquisição, o controle, o armazenamento, a dispensa e a distribuição dos fármacos dentro da unidade hospitalar na qual trabalha. A farmácia hospitalar é o local onde o profissional também pode elaborar controles e normas para a aquisição de insumos com fornecedores qualificados.

A média salarial do farmacêutico com atuação em ambiente hospitalar no Brasil é de R$ 3.505, com variações que vão de R$ 2.916 até R$4.211.

Tecnologia de alimentos

(Imagem: iStock)

A indústria alimentícia brasileira é uma potência nacional e internacional, o que a torna uma das mais promissoras na geração de empregos para as mais diversas áreas, incluindo a farmacêutica.

Para se ter ideia, aqui estão alguns dados da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA): a cadeia de produção e processamento alimentar representa 10,6% do PIB brasileiro e gera 1,68 milhão de empregos formais e diretos anualmente, colocando o Brasil como o 2º maior exportador de alimentos industrializados do mundo.

Mas afinal, o que tem a ver a formação em farmácia com a produção de alimentos? De acordo com a Resolução 530, homologada em 25 de fevereiro de 2010 pelo Conselho Federal de Farmácia, o papel do profissional é o de desenvolver produtos comestíveis e garantir sua qualidade sempre se atentando às Boas Práticas Farmacêuticas (BPF).

A importância da presença do farmacêutico na área de tecnologia de alimentos é imensa e se dá pelas inúmeras responsabilidades que o profissional pode assumir, entre as quais estão: controle de qualidade sobre métodos e procedimentos utilizados durante todo o processo produtivo; controle integrado de pragas; descrição do processo tecnológico; manipulação de alimentos, desde a matéria-prima até a versão final; monitoramento de Padrão de Identidade e Qualidade (PIQ) ou Regulamento Técnico do produto (RT), bem como a conformidade do produto com as normas, entre outras funções.

O farmacêutico habilitado para trabalhar na indústria alimentícia pode ganhar, em média, R$ 3.335,19, de acordo com o portal Salários.com.

Dot.Lib
Dot.Lib

A Dot.Lib distribui conteúdo online científico e acadêmico a centenas de instituições espalhadas pela América Latina. Temos como parceiras algumas das principais editoras científicas nacionais e internacionais. Além de prover conteúdo, criamos soluções que atendem às necessidades de nossos clientes e editoras.

Quer conhecer o nosso conteúdo?

Podemos lhe oferecer trials (períodos de acesso de teste gratuitos) dos conteúdos de nossas editoras parceiras. Se você tem interesse em conhecer alguma de nossas publicações ou soluções de pesquisa, preencha o formulário ao lado.

Informe os dados abaixo.
Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo site, você autoriza a Dot.Lib a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.