Dot.lib

Saiba mais sobre o mês dedicado não só à prevenção do câncer de próstata, mas aos problemas de saúde que afetam especialmente o público masculino (Imagem: iStock). Saiba mais sobre o mês dedicado não só à prevenção do câncer de próstata, mas aos problemas de saúde que afetam especialmente o público masculino (Imagem: iStock).
Novembro Azul: conheça a data e sua importância
  • Artigo
  • Saúde Pública
  • 05/11/2021
  • Câncer, Oncologia, Câncer de próstata, DotLib, Novembro Azul

Há uma crença de que os homens cuidam menos de sua saúde, comparados às mulheres, especialmente quando há a necessidade de ir às consultas médicas ou realizar exames.

As estatísticas confirmam que essa percepção é uma realidade: dados do Plano Nacional de Saúde (PNS) — que compila dados de anos anteriores e faz uma estimativa para os próximos — revelam que 82,3% das mulheres se consultaram com o médico e apenas 69,4% dos homens fizeram o mesmo.

Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2019, esse fato também reflete nas taxas de mortalidade a cada mil habitantes (4,2 para mulheres e 6,8 para homens) e na expectativa de vida (84,23% para mulheres e 77,90% para homens).

Os dados acima citados servem como um panorama geral da saúde masculina no Brasil. Desse modo, a equipe Dot.Lib preparou este artigo para ajudar na conscientização não só da importância do “Novembro Azul”, mas também para promover o conhecimento sobre a doença e a sua respectiva prevenção.

História da campanha

A origem do “Novembro Azul” remete ao ano de 2003, na Austrália, quando os amigos Travis Garone e Luke Slattery souberam que a mãe de um colega havia arrecadado fundos para o combate ao câncer de mama, o mais prevalente nas mulheres.

Inspirados por essa ação, a dupla decidiu deixar seus bigodes crescerem como uma forma de chamar atenção para a pauta do câncer de próstata. Assim, o visual ficou associado não só à masculinidade, mas à conscientização sobre os cuidados para com a saúde dos homens, principalmente com a prevenção do câncer de próstata.

A partir disso, Garone, Slattery e outros dois amigos criaram o Movember Foundation, sendo o primeiro nome uma junção das palavras do inglês moustache (bigode) e november (novembro). A organização sem fins lucrativos também arrecada fundos para o combate ao câncer de próstata.

No Brasil, a campanha de conscientização do público masculino sobre essa doença começou em 2008, ano no qual foi criada a instituição Lado a Lado pela Vida, que popularizou o “Novembro Azul” no país com ações iniciadas em 2011.

Sobre o câncer de próstata

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA) mostrou que, no Brasil, o câncer de próstata foi responsável por 29,2% das localizações primárias de tumores em homens em 2020, sendo o tipo de maior prevalência nesse sexo. O instituto estima que cerca de 65.840 novos casos devem surgir entre 2020 e 2022.

Causas

O surgimento está associado ao aumento na produção de andrógenos, entre os quais está a testosterona. Apesar desses critérios, a causa exata ainda é desconhecida.

O que se sabe é que existem alguns genes-chave e mutações genéticas que facilitam o desenvolvimento da doença: BRCA1 e BRCA2, por exemplo, são os responsáveis por reparar erros no DNA e, portanto, também são capazes de suprimir o surgimento ou crescimento de tumores. Após mutação, podem causar câncer de mama em mulheres e, em menor proporção, pode causar o câncer de próstata nos homens.

Já a mutação nos genes CHEK2, ATM, PALB2 e RAD51D é responsável pelo surgimento de alguns tipos de câncer na próstata, sendo esses hereditários. O gene HOXB13 é fundamental para a formação da próstata e a mutação genética que nele ocorrem — e nesse caso, são raras — geralmente estão associadas à doença em estágio inicial.

Além das alterações genéticas, há também alguns fatores de risco que podem fazer com que as células prostáticas se tornem cancerosas:

- Idade: esse tipo de câncer é prevalente em homens com mais de 65 anos, mas é recomendado um acompanhamento médico a partir dos 50 anos.

- Etnia: é mais recorrente em homens com ascendência africana e/ou caribenha e menos nos de ascendência asiática e hispânica/latina.

- Condições/doenças genéticas pré-existentes: homens diagnosticados com síndrome de Lynch, por exemplo, podem desenvolver o câncer de próstata e uma série de outros tipos com risco aumentado.

Outros fatores estão em estudo como a dieta, a obesidade, a prostatite (ou inflamação na próstata), o tabagismo, doenças sexualmente transmissíveis (as chamadas DSTs) e até mesmo certos tipos de atividades laborais

Sintomas

Alguns tipos de câncer de próstata crescem lentamente e sem manifestar sintomas. No entanto, os mais relatados são os problemas no trato urinário, que envolvem a micção excessiva durante a noite, fluxo urinário baixo ou dificuldades em mantê-lo constante, incontinência, entre outros.

Estudos recentes (2020-2021)

A seguir, veja três estudos publicados recentemente nos mundialmente renomados journals de ciências da saúde:

JAMA Oncology

Publicado em novembro de 2021, o estudo “Desenvolvimento e validação de uma plataforma alimentada por inteligência artificial para classificação e quantificação do câncer de próstata” mostra o papel da Inteligência Artificial (IA) e do banco de dados como aliados na busca por diagnósticos e tratamentos mais precisos.

Os resultados sugerem que uma plataforma alimentada pela IA pode ser capaz de detectar, classificar e quantificar o câncer de próstata com alta precisão e eficiência. Dessa forma, é possível aumentar o nível de detalhamento da avaliação histopatológica, além de melhorar a estratificação de risco e o manejo clínico do câncer de próstata.

New England Journal of Medicine

A pesquisa denominada “Lutécio-177-PSMA-617 para câncer de próstata resistente à castração metastática” focou nos efeitos da substância para retardar o processo metastático do câncer de próstata. Os autores do estudo acompanharam 831 pacientes em 10 países por um período médio de 20 meses.

A terapia, que também é realizada com radioligantes, prolongou a sobrevida livre de progressão baseada em imagem em e a sobrevida geral quando adicionada ao tratamento padrão em pacientes com câncer de próstata metastático resistente à castração metastática avançada para PSMA.

Wiley

Acetato de abiraterona mais prednisona em homens negros e brancos com câncer de próstata metastático resistente à castração” é o título de um estudo prospectivo que foca de análise exploratória que inclui genotipagem de todo o genoma para identificar polimorfismos de nucleotídeo único associados à progressão em um modelo que incorpora ancestralidade genética.

Apesar das taxas de morbidade mais altas, os pacientes negros demonstraram progressão radiográfica e sobrevida geral semelhantes aos dos pacientes brancos e tenderam a maiores declínios do antígeno específico da próstata, bem como seu tempo de progressão, consistentes com relatórios retrospectivos. Esta análise exploratória de TTP em todo o genoma identificou um possível marcador candidato de resultados de tratamento dependentes de ancestralidade.

ATENÇÃO: as descrições e os dados contidos neste artigo são apenas para fins informativos e não substituem um diagnóstico realizado por médicos especialistas.

 

Leia também: "Outubro Rosa: conheça a data e sua importância"

Dot.Lib
Dot.Lib

A Dot.Lib distribui conteúdo online científico e acadêmico a centenas de instituições espalhadas pela América Latina. Temos como parceiras algumas das principais editoras científicas nacionais e internacionais. Além de prover conteúdo, criamos soluções que atendem às necessidades de nossos clientes e editoras.

Quer conhecer o nosso conteúdo?

Podemos lhe oferecer trials (períodos de acesso de teste gratuitos) dos conteúdos de nossas editoras parceiras. Se você tem interesse em conhecer alguma de nossas publicações ou soluções de pesquisa, preencha o formulário ao lado.

Informe os dados abaixo.
Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo site, você autoriza a Dot.Lib a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.