Dot.lib

Fonte: iStock Fonte: iStock
Doenças endêmicas no Brasil
  • Artigo
  • Ciências da Saúde
  • 10/07/2020
  • endêmia, doenças endêmicas

A pandemia atual de COVID-19 tem levado pesquisadores do mundo a uma corrida contra o tempo para encontrar um tratamento eficaz e seguro contra o novo coronavírus. O relatório divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), no dia 7 de julho, mostrou que há 158 estudos em desenvolvimento de uma vacina contra o patógeno. Além disso, 21 delas já estão na fase de ensaios clínicos - testes com humanos. 

Apesar da força tarefa para frear o avanço do novo coronavírus, autoridades de saúde e especialistas não sabem quando o vírus desaparecerá. Em maio, a OMS alertou “que não é possível prever quando, e se, o coronavírus vai desaparecer”. Afirmou ainda que ele pode se tornar um vírus endêmico - igual a outros vírus, como o HIV.  

Mas você sabe o que é uma endemia? Quando um vírus pode se tornar endêmico?

Na epidemiologia, uma doença é classificada como endêmica quando ocorre com frequência  em uma região, não se espalhando por outras comunidades. Isso quer dizer que, endemia é uma doença que se manifesta de forma restrita apenas numa determinada área, de causa local. Então, para uma doença ser considerada endêmica ela atingirá apenas um determinado território e irá permanecer provocando novos casos, com frequência.

O início do século XX no Brasil foi uma época com vários estudos sobre a etiologia - o estudo ou ciência das causas -, e a ocorrência de diversas endemias. Embora, os estudos tenham progredido e contribuído para o controle das doenças endêmicas, ainda temos várias regiões que continuam sendo afetadas. A seguir, separamos as principais doenças infecciosas consideradas endêmicas em nosso país.

1 - Leishmaniose

A Leishmaniose é causada por um protozoário do gênero Leishmania, que se multiplica nas células de defesa do ser humano, chamadas macrófagos. Sua transmissão é feita por insetos que se alimentam de sangue e sua evolução é longa, podendo durar meses e até mais de uma ano. Além disso, pode ser letal.

No território brasileiro, são registrados em média cerca de 3.500 casos da doença anualmente, e o coeficiente de incidência é de 2,0 casos/100.000 habitantes. Nos últimos anos, a letalidade vem aumentando gradativamente, passando de 3,1% em 2000 para 7,1% em 2012.

O país ainda é responsável por 90% dos casos registrados na América Latina. As regiões Norte e Nordeste são as mais afetadas, devido à precariedade de condições sanitárias,  favorecendo a disseminação da doença. A Leishmaniose é considerada endêmica em 76 países, e no continente americano é detectada em pelo menos 12 regiões.

2Esquistossomose

No Brasil, a esquistossomose também é conhecida como “xistose”, "barriga d’água” ou “doença dos caramujos”. É uma doença parasitária causada pelo Schistosoma mansoni, que ao entrar no corpo se instala nos vasos sanguíneos do intestino, no sistema urinário e no fígado e começa a se reproduzir dentro do organismo. Os principais fatores de risco para sua  transmissão abrangem a ausência de saneamento básico, água potável e pisar ou lavar objetos em água contaminada.

Atualmente, as áreas endêmicas que a doença se manifesta no país são: Alagoas, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte (faixa litorânea), Paraíba, Sergipe, Espírito Santo, Minas Gerais (predominantemente no Norte e Nordeste do Estado), Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Goiás e no Distrito Federal, a transmissão é focal, não atingindo grandes áreas.

3 - Doença de Chagas

A Doença de Chagas, também chamada de Tripanossomíase americana, é uma doença parasitária causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi - descoberto por Carlos Chagas em 1909 -  e que afeta o sistema cardiovascular.  Ela se apresenta em uma fase aguda, que pode ser sintomática ou não, e uma fase crônica, etapa em que o infectado pode ter sintomas cardíacos ou digestivos.

A partir da década de 1970, as ações de controle de vetores foram essenciais para diminuir os casos no Brasil. Em 2006, o país recebeu a certificação Internacional da interrupção da transmissão vetorial pelo Triatoma infestans, espécie exótica e responsável pela maioria das transmissões antigamente.

Considerada uma doença endêmica, a Doença de Chagas é comum em países subdesenvolvidos e estima-se que tem 12 milhões de portadores nas Américas. No Brasil, atualmente, há registro de pelo menos um milhão de pessoas infectadas pelo protozoário.

4 - Hanseníase

Popularmente conhecida como lepra, a hanseníase é uma infecção crônica causada pelas bactérias Mycobacterium leprae ou Mycobacterium lepromatosis. As manifestações dos seus sintomas são graduais e atingem principalmente a pele e nos nervos periféricos com capacidade de gerar lesões neurais. Os sintomas podem também ser acompanhados por diminuição da visão e fraqueza.

Em 2003, o país registrou o pico da doença, com 51.941 casos. Por isso, desde 2016, o Ministério da Saúde oficializou o mês de janeiro e a cor roxa para campanhas educativas sobre a doença no território brasileiro. De acordo com a pesquisa realizada pela OMS, o Brasil é o segundo no número de casos de hanseníase no mundo, registrando cerca de 30 mil novos casos na última década, ficando atrás apenas da Índia.

Para entender a diferença entre pandemia, endemia e epidemia, clique aqui.  

Dot.Lib
Dot.Lib

A Dot.Lib distribui conteúdo online científico e acadêmico a centenas de instituições espalhadas pela América Latina. Temos como parceiras algumas das principais editoras científicas nacionais e internacionais. Além de prover conteúdo, criamos soluções que atendem às necessidades de nossos clientes e editoras.

Quer conhecer o nosso conteúdo?

Podemos lhe oferecer trials (períodos de acesso de teste gratuitos) dos conteúdos de nossas editoras parceiras. Se você tem interesse em conhecer alguma de nossas publicações ou soluções de pesquisa, preencha o formulário ao lado.

Informe os dados abaixo.
Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo site, você autoriza a Dot.Lib a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.